Apoio Hospitalar

O Projecto “Apoio Integrado ao Hospital de Curry Cabral”

.

Concebido pela LPCS e coordenado até 1997 por um técnico superior de saúde (Psicologia Clínica), funciona actualmente integrado num projecto proposto e aceite em 1998, o programa “CRIA” – Conhecer, Responsabilizar, Informar, Agir

Este compreende as seguintes Actividades:    

  • Animação.   
  • Ocupação dos tempos livres.   
  • Conversa com os utentes (relação de ajuda).   
  • Possível ajuda ao pessoal (refeições).   
  • Outras actividades que estejam incluídas na dinâmica do funcionamento do serviço.

.

Objetivos

.

Humanizar e dinamizar o serviço de Infecciologia do Hospital de Curry Cabral.

Ajudando, desta forma, a controlar o stress da hospitalização e a diminuir o sofrimento psicológico – frequentemente associado ao isolamento, privação sensorial e social dos utentes hospitalizados – através da intervenção complementar do voluntariado em Relações de Ajuda.

De acordo com o trabalho desenvolvido anteriormente até 1997:   

Objectivos a curto prazo :       

  • Assegurar a continuidade regular de apoio Hospitalar.       
  • Melhorar as competências pessoais dos voluntários que intervêm na da relação de ajuda.   

.

Objectivos a médio prazo :       

  • Aumentar a periodicidade da intervenção ao nível do projecto de Apoio Hospitalar.       
  • Aumentar a qualidade da intervenção estruturada no âmbito do projecto facilitando o relacionamento interpessoal entre utentes-voluntários-pessoal auxiliar-técnicos.       
  • Ajudar a melhorar a qualidade de vida da população internada através da sua participação activa no processo, ajudando a controlar o isolamento e a privação social.

.

Modelo de funcionamento:    

.

Ter âmbito local – pavilhões D e F do Serviço de Infecciologia do Hospital Curry Cabral.    

Gratuitidade.    

Ter uma duração média de 2 horas diárias (sem horário fixo).    

Funcionar todos os dias da semana (excepto Quintas-feiras e Domingos).

.

Equipa de Voluntários:

.

A equipa é constituída por 1 coordenadora (psicóloga clínica) bem como 8 voluntários formados selectivamente para este efeito:     

1ª fase : Curso de Formação Geral sobre HIV / SIDA.   

2ª fase : Curso de Formação Específica de Apoio Hospitalar.

3ª fase : Estágio no hospital, coordenado e acompanhado por voluntários mais experientes.   

4ª fase : Formação contínua (bimensal) para optimizar as suas actividades e intervenções

.

Supervisão:

.

O trabalho realizado pelos voluntários é objecto de supervisão científico-técnica permanente.

As reuniões de supervisão realizam-se com uma periodicidade quinzenal e têm como objectivos :   

avaliar o funcionamento do Apoio Hospitalar,   

trabalhar aspectos pessoais de cada voluntário quando levantados no exercício do Apoio Hospitalar,    aferir respostas e actualizar conhecimentos   

promover o aperfeiçoamento contínuo das competências dos voluntários,   

sugerir e avaliar novas propostas de intervenção nos serviços.

Os voluntários estão em contacto permanente com a coordenadora e sempre que o voluntário solicite ou que esta considere necessário, realizam-se entrevistas individuais.

Apoio Hospitalar - LPCS